5 de dez de 2018

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Médio foi aprovada no dia 4/12 pelo Conselho Nacional de Educação. O documento aprovado prevê que apenas português e matemática  contenham carga horária obrigatória para os três anos.


Notícia oficial: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=71631






21 de nov de 2018

Teste Adaptativo Computadorizado

Os Testes Adaptativos Informatizados (TAI) ou Testes Adaptativos Computadorizados (TAC) ou (em inglês) Computer Adaptive Test (CAT) propõem uma forma de avaliação caracterizada por selecionar os itens (questões) segundo os níveis estimados de habilidade/proficiência/traço latente. 

Mediante um conjunto de itens previamente calibrados (estimados, por exemplo, pela Teoria de Resposta ao Item), um CAT tem a principal característica de "individualizar um teste", ou seja, cada aluno participante recebe um elenco de diferentes itens, em diferentes quantidades e ordenação.

Ainda, um CAT baseado na Teoria de Resposta ao Item (TRI) seleciona os itens valorizando as habilidades/competências do indivíduo a partir dos itens respondidos (Weiss, 1984). Desta forma, pode-se aplicar testes com maior flexibilidade e adaptabilidade, além da redução do tempo, resultados imediatos e maior precisão em relação ao Teste Objetivo Tradicional (Olea et al., 1999).

São elementos básicos de um CAT (Conejo, 2001):
  • O Modelo de Resposta ao Item, que descreve como o indivíduo responde ao item, segundo seu traço latente.
  • O Método de Seleção dos Itens, que proporciona a seleção do próximo item em função do traço latente estimado e da resposta do item previamente ministrado.
  • Um Banco de Itens (BI) previamente calibrado.
  • O Nível de Conhecimento Inicial, que envolve a escolha do primeiro item de teste.
  • O Critério de Parada pode ser o alcance de um (i) nível pré-estabelecido do traço latente, (ii) a quantidade máxima de itens em um teste, (iii) tempo de teste, etc.
O CAT baseado na Teoria de Resposta ao Item possui o componente estimação do traço latente θ, que pode ser, por exemplo o desempenho de um estudante de Matemática. O fluxograma da Figura 1 mostra o funcionamento de um CAT (PITON-GONÇALVES, 2012t).

Figura 1: Fluxograma geral de um CAT unidimensional na área educacional (PITON-GONÇALVES, 2012t).

Os passos para a execução de um CAT são (PITON-GONÇALVES, 2012t):
  • (I) Inicia-se o teste (1) e aplica-se um ou mais critérios iniciais (2).
  • (II) Aplica-se um critério de seleção de item (3). Exibe-se o item e o examinado responde ao item (4).
  • (III) Estima-se a habilidade (5) e decide-se de acordo com a satisfação do(s) critério(s) de
parada (6). Se satisfeito, então fim de teste (7) senão, volta-se ao passo (II).

O CAT apresenta as seguintes vantagens (PITON-GONÇALVES, 2012t):
  • O desempenho do examinado determina o seu próprio elenco de itens administrados,quando responde correta ou incorretamente a um item (PITON-GONÇALVES et al., 2009).
  • O tempo de teste é reduzido e mantém o mesmo nível de confiança de um teste convencional, reduzindo significativamente a fadiga dos longos testes (OLIVEIRA, 2002).
  • Pode-se utilizar o CAT como ferramenta para a Educação a Distância (PITON-GONÇALVES et al., 2009).
  • Um CAT não requer que todos os examinados realizem simultaneamente o exame (COSTA, 2009).
  • O CAT permite analisar e comparar equivalentemente os resultados de diferentes grupos de examinados a partir de diferentes itens (PITON-GONÇALVES et al., 2009).
  • Um CAT ajusta adequadamente o nível de dificuldade dos itens, sem prejudicar a acurácia das estimativas (COSTA, 2009).
O CAT mede apenas um traço latente θ (unidimensional) ou mesmo, um construto majoritário. Por outro lado, cada vez mais os testes educacionais têm apontado para avaliações de desempenho do examinado em múltiplas competências e habilidades. Para isso, os Testes Adaptativos Computadorizados Multidimensionais (em inglês, Multidimensional Computer Adaptive Test – MCAT) supõe que o examinado possua um construto mental representado por mais de um traço latente, que possa ser estimado pela Teoria de Resposta ao Item Multidimensional (em inglês, Multidimensional Item Response Theory – MIRT) (RECKASE, 2009). 

Uma pesquisa nacional sobre MCAT é encontrada em Piton-Gonçalves (2012t). Para saber mais sobre CAT e MCAT consulte a bibliografia abaixo indicada.

Referências/Bibliografia
  • Conejo, R., Millan, E., Cruz, J. L. P., and Trella, M. (2001). Modelado del alumno: um enfoque bayesiano. Inteligencia Artificial, Revista Iberoamericana de Inteligencia Artificial, (12):50–58.
  • Costa, D. R. Métodos Estatísticos em Testes Adaptativos Informatizados. 107 p. Dissertação
    de Mestrado - Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2009.
  • Huang, S. X. (1996). A content-balanced adaptive testing. in computer aided learning and instruction in science and engineering. CALISCE-Computer Aided Learning and Instruction in Science and Engineering, (3):29–31.
  • Manseira, P. R. P. e Misaghi, M. Proposta de ferramenta para uso abrangente de Testes Adaptativos Computadorizados na Educação a Distância. III Congresso Brasileiro de Engenharia de Produção (ConBRepro). 04 a 06 de dezembro de 2013. Ponta Grossa, PR.
  • Olea, J., Ponsoda, V., and Prieto, G. (1999). Tests Informatizados Fundamentos y Aplicaciones. Ediciones Piramede.
  • OLIVEIRA, L. H. M. ; ALUISIO, S. M. ; PITON-GONÇALVES, J. (2004). Criação e aplicação de testes adaptativos informatizados: : um estudo de caso. In: Workshop de Educação em Computação (WEI), 2004, Salvador. Anais do XXIV Congresso da Sociedade Brasileira de Computação.
  • PITON-GONÇALVES, J. Desafios e Perspectivas da Implementação Computacional de Testes Adaptativos Multidimensionais para Avaliações Educacionais. Tese de Doutorado, - Universidade de São Paulo, 2012t.
  • PITON-GONÇALVES, JEAN ; ALUÍSIO, S. M. An architecture for multidimensional computer adaptive test with educational purposes. In: 18th Brazilian symposium on Multimedia and the web (Webmedia), 2012, Sao Paulo/SP. Proceedings of the 18th Brazilian symposium on Multimedia and the web - WebMedia '12. New York: ACM Press, 2012a. p. 17-24. 
  • PITON-GONCALVES, Jean; ALUISIO, Sandra Maria. Teste Adaptativo Computadorizado Multidimensional com propósitos educacionais: princípios e métodos. Ensaio: aval.pol.públ.Educ., Rio de Janeiro , v. 23, n. 87, p. 389-414, jun. 2015 . Disponível em Download.
  • PITON-GONÇALVES, JEAN ; ALUISIO, S. M. . Proposta de um esquema de anotação para os itens de Testes Adaptativos Informatizados baseados no CBAT2. In: XI Encontro de Linguística de Corpus - ELC, 2012, São Carlos. Anais do XI Encontro de Linguística de Corpus - ELC, 2012b.
  • Curi, M. ; PITON-GONÇALVES, JEAN ; Ricarte, T. A. M. ; ALUISIO, S. M. . Métodos de Seleção de Itens em Teste Adaptativo Multidimensional. I CONBRATRI, Congresso Brasileiro de Teoria de Resposta ao Item, 2009.
  • PITON-GONÇALVES, JEAN ; MONZÓN, A. J. B. ; ALUISIO, S. M. . Métodos de avaliação informatizada que tratam o conhecimento parcial do aluno e geram provas individualizadas. In: XX Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, 2009, Florianópolis. Anais do XX Simpósio Brasileiro de Informática na Educação - 17-20 de novembro de 2009 - Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, 2009.

  • PITON-GONÇALVES, J. ; ALUISIO, S. M. ; OLIVEIRA, L. H. M. ; OLIVEIRA, O. N. . (2004). A Learning Environment for English for Academic Purposes Based on Adaptive Tests and Task-Based Systems. In: 7th International Conference on Intelligent Tutoring Systems (ITS - 2004), 2004, Maceió. Proceedings of the 7th International Conference on Intelligent Tutoring Systems - Lecture Notes in Computer Science, 2004. v. 3220. p. 1-11. 
  • Reckase, M. D. Multidimensional Item Response Theory. [S.l.]: Springer: New York - NY,
    2009.
  • Weiss, D. J. and Kingsbury, G. G. (1984). Application of computerized adaptive testing to educational problems. Journal of Education Measurement, 21:361–375.

31 de ago de 2018

Resultados do SAEB 2017



Prezados leitores do Blog, foram publicados os resultados do SAEB 2017.


Segundo o MEC:
"(...) somente 4,52% dos estudantes do ensino médio avaliados pelo Saeb 2017, ou cerca de 60 mil, superaram o nível 7 da Escala de Proficiência da maior avaliação já realizada na educação básica brasileira. Com os resultados, o MEC atestou que se não houver uma mudança no panorama de educação no ensino médio brasileiro, em breve os anos finais do ensino fundamental vão superar a última etapa da educação básica em relação aos ganhos de aprendizagem. De forma geral, a baixa qualidade nessa etapa prejudica a formação dos estudantes e, consequentemente, atrasa o desenvolvimento social e econômico do país" (http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=68271)

Download dos slides que explicam sucintamente os resultados

Download da planilha com os resultados por Brasil, Estados e Municípios

Download do documento direcionado à mídia (jornalistas)

5 de mar de 2018

Logaritmos, trigonometria, matrizes e determinantes: uma análise de itens do ENEM do ponto de vista curricular


Logaritmos, trigonometria, matrizes e determinantes: uma análise de itens do ENEM do ponto de vista curricular

Jean Piton-Gonçalves, Erica Rachel de Souza, Maiza Lamonato

Este artigo responde à questão “de que forma e quantidade os itens que envolvem os conteúdos de logaritmos, trigonometria, matrizes e determinantes vem ocorrendo nas provas do ENEM ao longo dos últimos anos?” A motivação provém (i) da lacuna da literatura quanto à proporção entre os conteúdos curriculares propostos do Ensino Médio e aqueles avaliados pelo ENEM e (ii) dos conteúdos que são requisitos para as disciplinas de cálculo, geometria analítica e álgebra linear em cursos de ciências exatas e de engenharias. Foram minerados os microdados do ENEM de 2009 a 2014 e analisado o currículo de Matemática do Estado de São Paulo. Resultados mostram que, em seis anos de aplicação do ENEM, apenas 3.3% do conteúdo curricular pertence aos conteúdos analisados, comprometendo a validade de conteúdo do teste.

Referência

PITON-GONÇALVES, J.; SOUZA, E. R. ; LAMONATO, M. . Logaritmos, trigonometria, matrizes e determinantes: uma análise de itens do ENEM do ponto de vista curricular. EDUCAÇÃO MATEMÁTICA EM REVISTA-RS, v. 2, p. 1-22, 2017.

12 de abr de 2017

O Moodle como ferramenta de apoio a uma disciplina presencial de ciências exatas

Este trabalho descreve uma experiência com o sistema de gerenciamento de cursos Moodle em uma disciplina de Métodos de Matemática Aplicada presencial oferecida pelo DM-UFSCar. Dentre as suas formas de utilização, focamos seu uso como ferramenta de apoio ao processo de ensino aprendizagem. O Moodle fornece um espaço de aprendizagem como um processo dinâmico, facilitado pela internet e baseado no construcionismo social, e vem atender as necessidades do professor e aluno. Destacamos a colaboração mutua dos participantes, o cooperativismo, a troca e compartilhamento de materiais, fóruns, salas de bate-papo, questionários, pesquisas, coleta e revisão de tarefas, diários, avaliação entre colegas e o registro de notas no ensino a distância e que podem ser utilizadas numa disciplina presencial ou parcialmente presencial. Uma disciplina presencial planejada na perspectiva do Moodle apresenta vantagens com relação a disciplinas que apenas utilizam métodos tradicionais de ensino.


Referência

SALVADOR, J. A. ; PITON-GONÇALVES, J. . O Moodle como ferramenta de apoio a uma disciplina presencial de ciências exatas. In: COBENGE - Congresso Brasileiro de Ensino de Engenharia, 2006, Passo Fundo. Anais do XXXIV COBENGE, 2006. Referências adicionais: Classificação do evento: Nacional; Brasil/ Português; Meio de divulgação: Digital